O Testamento do Dr. Mabuse (1933)

Título original : Das Testament des Dr. Mabuse

Origem : Alemanha

Diretor : Fritz Lang

Roteiro : Fritz Lang, Thea von Harbou e Norbert Jacques

Com : Rudolf Klein-Rogge, Otto Wernicke, Gustav Diessl

Mais uma obra-prima de Fritz Lang!

“O Testamento de Dr. Mabuse” é uma sequência ao filme “Dr. Mabuse, o jogador” (1922), também de Lang, contando, inclusive com boa parte de seu casting. A ele seguiu-se ainda um terceiro filme, lançado em 1960 e intitulado “Os Mil Olhos do Dr. Mabuse”.

O filme conta a história de Dr. Mabuse (Rudolf Klein-Rogge), um paciente de um asilo psiquiátrico,  que vive em estado catatônico, e cuja única comunicação com o mundo exterior é feita via textos que escreve compulsivamente e que descrevem roteiros para crimes perfeitos.

Coincidentemente, enquanto Dr. Mabuse escreve seu “Testamento”, trancado em sua cela, vários crimes misteriosos vão acontecendo na cidade,  liderados por um líder sem rosto, capaz de eliminar sem piedade todo aquele que mostre ter uma opinião.

A fim de impedir que os crimes continuem acontecendo, o Inspetor Lohmann (Otto Wernicke) é chamado a dar início às investigações. Para isso, conta com o auxílio do psiquiatra responsável pelo tratamento de Dr. Mabuse, Professor Baum (Sir Oscar Beregi).

O filme é magnífico! Aliás, cada vez que assisto a um filme de Lang, mais me encanto com sua genialidade ! Com sua capacidade de dizer o “indizível”, o absolutamente proibido, por meio de personagens-metáforas, ou das não-palavras.

Sem falar, é claro, na perspicácia, inteligência e beleza com que compunha seus planos, suas sequências… seus filmes! E ainda, na riqueza dos seus diálogos, com suas mensagens subliminares, tão claras para nós hoje, cidadãos do século XXI.

Uma sequência que me marcou foi a que nos mostra um dos assassinatos do filme, em que buzinas de carros são usadas para abafar o som dos tiros… Todos os carros saem, menos um. E imediatamente entendemos toda a ação. Sem palavras, sem diálogos.  Nada precisa ser dito e tudo é compreendido.

 “O Testamento do Dr. Mabuse” é o segundo filme falado de Fritz Lang e foi proibido na Alemanha de Hitler, censurado por seu todo-poderoso Ministro da Propaganda, Joseph Goebbels.

De fato, se atentarmos aos diálogos do filme, rapidamente entenderemos que qualquer semelhança com o que se passou na Alemanha de Hitler não é mera coincidência…

Grande pedida para o fim de semana ou para o novo ano que se anuncia!

~ by Lilia Lustosa on December 17, 2011.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 
WP Like Button Plugin by Free WordPress Templates