Spencer (2021)

Origem: UK / EUA / Alemanha / Chile

Direção: Pablo Larraín

Roteiro: Steven Knight

Elenco: Kristen Stewart, Thimothy Spall, Sally Hawkins, Jack Farthing, Jack Nielen, Freddie Spry

Hoje saiu a lista para os indicados ao Oscar 2022. A sorte agora está lançada!

Na categoria Melhor Atriz, temos Kristen Stewart, interpretando Lady Di em “Spencer” (2021), dirigido pelo chileno Pablo Larraín. E é justamente esse filme a nossa dica de hoje!

Gostaria de começar dizendo que fiquei muito feliz com essa indicação super merecida. Enquanto assistia ao filme nem lembrava que estava diante da atriz de “Crepúsculo”… Kristen Stewart parece ter incorporado o sofrimento da princesa de Gales de uma forma impressionante!

O filme, aliás, me impressionou bastante. A textura granulada das imagens de Diana (filmadas em 16mm) somado à luz amarelada e aveludada, escolhidas pela diretora de fotografia Claire Mathon, remetem a uma ideia de aconchego e de intimidade surpreendentes naquele cenário acinzentado do inverno inglês. Mas trazem também algo de fantasmagórico. A montagem é certeira, acompanhada por uma trilha excelente que, infelizmente, ficou fora da lista de indicados. Isso tudo somado ao grande desempenho do elenco, fazem de “Spencer” um filme de primeira qualidade.

A trama se passa na Sandringham House, propriedade real, localizada em Norfolk. Mesma região onde cresceu Diana. É nesse suntuoso palácio de campo que a família real costuma passar o período de Natal, sempre seguindo as mesmas tradições. A história do filme vai então acompanhar a princesa nesses três dias que duram as celebrações natalinas – do Christmas Eve ao Boxing Day –, justo no ano que antecede à sua separação do Príncipe Charles. Um período de grande angústia e sofrimento para ela, já que o caso de seu marido com Camilla Parker-Bowles já começava a despertar a atenção dos tabloides ingleses.

O que vemos é uma Diana perturbada, inquieta, depressiva, bulímica e inconformada com as obrigações e às imposições de seu posto de princesa. Uma mulher vigiada e controlada 24 horas por dia, uma verdadeira escrava da monarquia! E Kristen Stewart dá um show para nos fazer entender com precisão esses sentimentos! 

O filme é, porém, uma ficção. Mas que sugere (ou supõe) como teria sido o último Natal de Lady Di dentro da família real. Uma Diana atormentada pela figura de Ana Bolena, rainha consorte da Inglaterra, segunda esposa do rei Henrique VIII, executada na Torre de Londres, acusada de adultério por seu próprio marido, sendo que era ele quem a estava traindo. O diretor propõe aqui um paralelo entre as duas personagens, o que acentua ainda mais o clima de tensão que percorre todo o filme.

“Spencer” discute sobre as noções de passado, presente e futuro quando se está diante de situações-limites de pressão. Põe em cheque ainda o sentido das tradições e questiona o aprisionamento causado por certas “funções” que temos que desempenhar em nossas vidas. Claro que o assunto aqui é a monarquia inglesa  – será que ainda cabe no mundo de hoje esse formato de monarquia? –, mas bem que essa história poderia ser transportada para vários “postos” que temos que ocupar em nossas vidas de plebeus.

PRA PENSAR

~ by Lilia Lustosa on fevereiro 8, 2022.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

 
WP Like Button Plugin by Free WordPress Templates