3 Cœurs (2014)

Título original : 3 Cœurs

Origem : França / Alemanha / Bélgica

Direção : Benoît Jacquot

Roteiro : Benoît Jacquot, Julien Boivent

Com: Catherine Deneuve, Chiara Mastroianni, Charlotte Gainsbourg, Benoît Poelvoorde

1552059-affiche-du-film-trois-coeurs-600x315-1

O título do filme já dá bons indícios de seu enredo: um homem, duas mulheres, 3 corações. No entanto, o que ele não deixa claro é que poderia também se intitular “4 corações”, já que o nosso, enquanto espectador, também participa ativamente dessa história, sofrendo, torcendo, se angustiando, se espantando, não compreendendo… tentando encontrar uma solução.

O filme conta a história de um homem maduro, Marc Beaulieu (Benoît Poelvoorde), um servidor público, fiscal da receita federal, que, em uma viagem de trabalho, perde o trem de volta a Paris e se vê obrigado a passar uma noite numa cidadezinha qualquer da Provence. Lá ele conhece e se apaixona por Sylvie (Charlotte Gainsbourg), uma moça enigmática que erra pelas ruas da cidade, meio perdida, meio angustiada, em busca de algo que não sabe bem o quê. Os dois passam a noite juntos andando pela cidade até a hora em que Marc pega o trem de volta para Paris. Marcam então um encontro na cidade-luz, para dali a alguns dias, no Jardim das Tulherias, mas não trocam número de telefones nem endereços de email. Na verdade, não sabem nem mesmo seus nomes completos. Fica tudo no sonho, no romantismo e na palavra dada!

Ela vai ao encontro marcado e espera por um bom tempo. Um lindo sol de outono lhe faz companhia. Marc fica preso com uns clientes chineses no trabalho, e sofre, em seguida, um mal estar (um princípio de infarto), chegando muito atrasado ao encontro e perdendo a chance de iniciar ali um belo romance.

Arrasada pelo ex-futuro relacionamento promissor, Sylvie resolve largar a mãe (Catherine Deneuve) e a irmã Sophie (Chiara Mastroianni) e seguir seu namorado (sim, ela tem um companheiro) em um novo trabalho nos Estados Unidos.

Sophie, que também é sua sócia em um Antiquário, sofre enormemente com a separação. É a primeira vez que as irmãs se separam.

Enquanto isso, Marc, na tentativa de reencontrar Sylvie, volta à Provence, alegando precisar rever os clientes que lá encontrou. E eis que o destino lhe prega uma peça: ele vai conhecer e se apaixonar por Sophie, que chega até a Receita Federal pedindo ajuda com a contabilidade de seu Antiquário, sem desconfiar que ela é a irmã de sua amada desaparecida. O circo está então armado.

Todos os elementos para um bom melodrama estão aí reunidos. Porém, Benoît Jacquot, decide navegar por outras águas, e, ao invés de um melodrama adocicado, apresenta-nos uma espécie de thriller romântico com personagens que fogem ao esquema maniqueísta de bonzinhos e vilões. Ninguém é de todo bom nem de todo mau. As coisas acontecem simplesmente por acontecerem. Alguns podendo atribuir-lhes a origem ao destino, ao azar, à sorte… ou ao livre arbítrio.

3 Coeurs é construído em formato de suspense. A excelente trilha, assinada por Bruno Colais, desde suas primeiras cenas dá o tom do filme, tendo papel fundamental na trama. Alguns ruídos (sons ambientes) chegam mesmo a ser super valorizados, interferindo também na história. Sem falar em objetos que servirão de pistas para desvendar o mistério e que também estão em cena.

Panorâmicas rápidas, movimentos bruscos de câmera, longas sequências com imagens fora de foco, bela fotografia, três grandes atrizes, um grande ator e uma narração digna dos filmes da Nouvelle Vague (mas que só aparece umas poucas vezes no filme para pontuar momentos importantes da vida de Marc) são os ingredientes principais desse thriller.

O papel de Catherine Deneuve é interessante e importante, mesmo que com poucas falas. Ela é aquela figura de mulher sábia e experiente, que não precisa de muito para tudo compreender. Uma mãe super presente na vida das filhas, que respeita seus espaços até onde acha que deve. Interessante vê-la fazendo o papel de mãe de sua própria filha na vida real. Impossível não ficar tentando achar semelhanças entre as duas mulheres, apesar de concordar com muitos que dizem que Chiara parece mais com seu pai, Marcello Mastroianni.

Com estreia prevista no Brasil para outubro no Festival Internacional do Rio de Janeiro, 3 Coeurs é um filme interessante, envolvente e que mexe com nossos corações.

Um filme PRA SE DISTRAIR.

~ by Lilia Lustosa on setembro 28, 2014.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

 
WP Like Button Plugin by Free WordPress Templates