Trapaça (2013)

Veja o trailer aqui!

Título original: American Hustle  oscars-american-hustle-poster

Origem: EUA

Diretor: David O. Russell

Roteiro: Eric Warren Singer, David O. Russel

Com: Christian Bale, Amy Adams, Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Jeremy Renner

É, parece que a tendência do momento são mesmo as ficções baseadas em histórias reais, vide Philomena (2013), 12 Anos de Escravidão (2013), O Lobo de Wall Street (2013) e agora Trapaça (2013).

O último filme do diretor David O. Russel, concorrendo ao Oscar em nada menos do que 10 categorias, conta, assim, mais uma história baseada em fatos reais, revelando-nos, desta vez, uma operação organizada pelo FBI no fim dos anos 1970, nos EUA, que ficou conhecida por “caso Abscam”.

A trama se passa em Nova Jersey e mostra como se deu a operação dirigida por Richie DiMaso (Bradley Cooper), agente do FBI, para pegar em flagrante uma série de políticos que recebiam propina de empresários e mafiosos em troca de certos favores.  Para isso, ele decide se associar aos recém capturados trambiqueiros Irving Rosenfeld (Christian Bale) e Sidney Prosser (Amy Adams), que aceitam participar da operação em troca da diminuição de suas penas.

Com atmosfera e cenário bem diferentes daqueles visto no divertido e inteligente O Lado Bom da Vida (2012), mas com elenco que combina o desse filme somado àquele de O Vencedor (2010) – também dirigido por Russel -, Trapaça nos faz voltar no tempo, mergulhando-nos com todos os nossos sentidos nos anos 1970.

Música, cenário, figurino, penteados, maquiagem, iluminação, montagem, movimento de câmera, narração… tudo, tudo lembra os filmes dos anos setenta. Só que um pouco mais carregado do que no “original”, numa espécie de composição pós-moderna, de estética kitsch, rococó, caricata, bem humorada, em que vale quase tudo.

Assim sendo, embora bem divertido, leve e gostoso de assistir, este novo filme de Russell nos deixa com um gostinho de déjà-vu, não trazendo nada de original, nada de surpreendente, parecendo mais um cópia-e-cola dos filmes da geração “movie brats” (Scorsese, Coppola e companhia) surgida igualmente no fim dos anos 70 nos EUA.  Aliás, a homenagem a Scorsese é explícita, tanto nos movimentos de câmera, como na forma de apresentação dos personagens e, sobretudo, em uma participação especial, no meio do filme, que não vou aqui revelar…

O trabalho musical, com trilha sonora assinada por Danny Elfman também tem carinha de repeteco, mas não deixa de ser uma maravilha para os ouvidos dos fãs das músicas dos senventies.

O ponto alto de Trapaça é, sem dúvida, a atuação de seu elenco que, mesmo que em alguns casos beire o caricato, ainda assim é, de uma maneira geral, excelente. Christian Bale, Amy Adams, Jennifer Lawrence e Bradley Cooper formam um time de primeira grandeza. Um conjunto de estrelas que conseguiu brilhar ao mesmo tempo, num mesmo palco, sem uma ofuscar o talento da outra.

Em ano de Copa do Mundo, parece uma boa lição para ser aprendida.

Um filme PRA SE DIVERTIR.

~ by Lilia Lustosa on fevereiro 16, 2014.

One Response to “Trapaça (2013)”

  1. Olá Lília.
    Assisti o filme semana passada e tb acho que o filme é para se divertir.
    Quanto à estética do filme, achei meio “over” tb, mas acho que foi a conotação, o “tempero” que o Russel quis dar à fita. Até aqueles decotões que a Amy usava eram exagerados. Naquela época, isso só se via na capa da Cosmopolitan… Vai ver que foi nisso que o/a diretor/a de arte se baseou e aonde o diretor se ancorou.
    No tocante às atuações achei convincentes. Bale com aquela barriga de vigarista “classe média”, estava fantástico. Na cena em que ele vê os chefões e explica o cuidado que se dever ter e a esposa vai direto para o bar – foi a minha favorita. A cara que ele faz, “Ih, f….. tudo…” é fantástica. Gostei tb da Jennifer que para mim roubou a cena, “dublando” Live and Let Die dos Wings. Impagável, né ?
    Foi muito divertido !!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

 
WP Like Button Plugin by Free WordPress Templates