Para Roma, Com Amor (2012)

Veja aqui o trailer do filme!

Título original: To Rome, With Love  

Origem: EUA / Itália / Espanha

Diretor: Woody Allen

Roteiro: Woody Allen

Com: Woody Allen, Penélope Cruz, Roberto Begnini, Alec Baldwin, Ellen Page

Woody Allen está de volta, com mais um filme rodado no continente Europa, depois de Vicky, Cristina, Barcelona (2008) e de Meia-noite em Paris (2011). A grande novidade é que depois de alguns anos longe dos holofotes, desta vez ele volta a ocupar um lugar na frente das câmeras, em um filme que está mais para auto divertimento do que qualquer outra coisa. Mesmo assim, Para Roma, Com Amor não deixa de ser uma gostosa homenagem à Itália, com direito a músicas bonitas, lindas planos gerais de Roma, além da ironia tão típica de Woody Allen.

Abrindo com um plano geral da Piazza Venezia e com a narração de um caricato guarda de trânsito, o filme conta de forma teatral quatro histórias que nunca se encontram, não se complementam, no entanto, não se agridem, nem se atrapalham.

Uma delas é a de um arquiteto de renome (Alec Baldwin) que retorna a Roma trinta anos depois de lá ter morado para estudar arquitetura. Ao fazer um passeio solitário pelas charmosas ruelas da cidade, ele acaba vivendo um reencontro surpreendente, deixando-se conduzir pelo jovem arquiteto que um dia foi. Uma história divertida e cheia de paixão, de uma época em que seu coração se viu dividido entre a segurança e estabilidade do amor por sua namorada e a aventura de uma paixão arrebatadora pela amiga dela.

A segunda história apresentada é a de uma jovem turista americana perdida em Roma. Ao pedir ajuda, ela acaba sendo flechada pelo cupido. Quando os pombinhos resolvem casar, os pais da moça vêm então a Roma para conhecer o futuro genro e sua família. E é aí que começa a parte mais divertida do filme, com um Woody Allen de cabeleira totalmente branca e de falas inteligentes e bem divertidas. Nessa história, o contraste entre as culturas norte-americanas e italianas é colocado em evidência, contraponto capitalismo e socialismo, empresários e sindicatos, comerciantes e artistas. Tudo de maneira irônica e caricata, beirando o exagero.

A terceira história trata de fama instantânea e de tudo que vem e que vai com ela. O personagem principal é Leopoldo Pisanello, interpretado pelo ídolo italiano Roberto Begnini, com sua atuação sempre “over”, que faz rir no começo e cansa no final. Aliás, essa história segue também o mesmo modelo, sendo interessante no começo, tendo um propósito até justo e interessante, mas se tornando “over” e um pouco cansativa no final.

A quarta e última história é a de um jovem casal que chega a Roma para fazer fortuna na cidade grande. O rapaz super tímido e a moça, com cara de professorinha de interior, têm um encontro marcado com a família rica do rapaz. A moça, querendo impressionar, sai do hotel para fazer escova em um salão de beleza e acaba se perdendo, indo parar em um set de filmagens, onde encontra seus ídolos das telonas. Embalada pelo encanto e pela fantasia, a moça se envolve em uma aventura digna de cinema enquanto seu marido recebe a visita e a lição de uma experiente e bem relacionada prostituta, interpretada por Penélope Cruz.

Indo e vindo de uma história à outra, com cortes secos e, por vezes transições “tremidas”, o filme não se destaca pelas novidades tecnológicas, nem de estilo, mas mesmo assim presenteia nossos olhos com lindos planos de Roma e nossos ouvidos com algumas pérolas da música italiana.

Com um jogo de cena artificial à la Woody Allen e com seu humor de psicanálise, Para Roma, Com Amor certamente não é nenhuma obra-prima do autor – muito longe do extraordinário Match Point (2005) ou do encantador Meia-Noite em Paris (2010) – no entanto, o filme é leve, divertido, e proporciona boas risadas.

Um filme PRA SE DIVERTIR.

~ by Lilia Lustosa on julho 23, 2012.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

 
WP Like Button Plugin by Free WordPress Templates