Os Descendentes (2011)

Título original : The Descendants

Origem : EUA

Diretor : Alexander Payne

Roteiro : Alexander Payne

Com : George Clooney, Shailene Woodley, Amara Miller

Um Clooney diferente…

Esqueçam o galã, o conquistador ou o homem bem sucedido normalmente interpretado por George Clooney. Em “Os Descendentes”, o grisalho bonitão encarna alguém de absolutamente comum, marido relapso e distante, pai ausente, e ainda por cima com um guarda-roupa em nada atraente. Um advogado que, pego de surpresa pelo acidente sofrido pela esposa, mergulha em um mundo de reflexões, de “mea-culpa” e de descobertas.

A história se passa no Havaí de hoje e começa com um acidente de barco. Elisabeth (Patricia Hastie), casada com Matt (George Clooney), mãe de duas filhas – Alexandra (Shailene Woodley) e Scottie (Amara Miller) – , e viciada em esportes radicais, sofre um acidente ainda no prólogo do filme e entra em coma. A trama vai então se desenvolver em torno do fato de Matt se ver, de um dia para o outro, responsável pela condução do dia-a-dia de suas duas filhas, de quem se havia pouco a pouco distanciado. Fora isso, há ainda, como pano de fundo, uma questão de venda de terras recebidas por meio de uma herança. Uma história, aliás, que parece, em princípio, meio perdida no enredo do filme, mas que, devagarzinho, vai fazendo sentido (não muito) no todo da história.

De uma estética não muito típica (comercial) americana, o filme de Alexander Payne privilegia os “closes” nos personagens – já desde a primeiríssima cena -, explora as paisagens como planos de transição, e – em função de um ritmo de narração mais lento – acaba por aproximar o espectador de seus personagens. As cores são meio desbotadas, como que lavadas pela chuva que cai em vários momentos do filme, e que revelam ainda o estado de espírito dos personagens.

O filme recebeu 5 indicações ao Globo de Ouro, inclusive o de melhor filme e o de melhor ator principal. É um filme que emociona, que toca, embora não necessariamente encante. Só não consegui entender a razão de ser do amigo Sid (Nick Krause) no filme. Aguardo opiniões.

~ by Lilia Lustosa on janvier 3, 2012.

Laisser un commentaire

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *

 
WP Like Button Plugin by Free WordPress Templates