Pieces of a woman (2020)

Origem: Canadá / Hungria / EUA

Direção: Kornél Mundruczó  

Roteiro: Kata Weber

Produção: Martin Scorsese

Elenco: Vanessa Kirby, Shia LaBeouf, Ellen Burstyn, Molly Parker, Sarah Snook

Como passar pelas dores de um parto, segurar sua filha no braço para logo perdê-la, e mesmo assim ter que seguir adiante? Como sair inteira dessa experiência? Como acordar e encarar a vida que não mais vai existir? Como lidar com o vazio que ficou no lugar do sonho?

Pieces of a woman trata de tudo isso de forma extremamente sensível, delicada e linda! A primeira meia-hora, composta por um longo plano-sequência e uma fotografia digna de galeria de arte, é de tirar o fôlego!  O diretor de fotografia Benjamin Loeb faz uso de cores quentes e de filtros que dão uma aura de feminilidade, ternura e graça à história contada, além de criar um clima mais intimista, propício a um parto feito em casa. Vanessa Kirby, que interpreta Martha, está simplesmente divina no papel dessa mãe de primeira viagem, futuramente despedaçada. Do mesmo modo que Molly Parker dá um show como Eva, a parteira que tenta passar segurança diante do perigo da situação ali apresentada. Muita tensão, esperança, alegria, desespero, tristeza, e dor, tudo envolto em algo de sublime, que atrai, assusta e fascina! 

A outra hora e meia do filme não tem a intensidade do começo (acho que nós espectadores não aguentaríamos!!!), mas mantém um bom ritmo, adotando novas cores e tons, em que verde e vermelho predominam, e closes são frequentes. Novas questões são incorporadas ao enredo, como a diferenças de classes sociais dos personagens principais, diferenças de religião, etc., o que, ao meu ver, era dispensável para o desenrolar de uma história que já carrega em si tanta força.

Pieces of a woman é, em sua essência, um filme sobre dores de mulher: dores físicas, mentais, espirituais, dores totais, imensas, insuportáveis, ou quase… Dores por decisões tomadas, por culpas sentidas, por sonhos desfeitos, por planos desmantelados.  Mas o que também encanta no filme do húngaro Kornés Mundurczó é a fragilidade do personagem masculino – o pai Sean, interpretado por Shia LaBeouf –, que também sai em frangalhos dessa vivência. Confesso que me impressionou a sensibilidade do diretor, guiado obviamente pelo belo roteiro escrito por sua esposa, também húngara, Kata Wéber, ao retratar com tanta propriedade o universo feminino, assim como ao mostrar um lado do homem nem sempre bem estampado no cinema. 

Pieces of a woman é um filme que dói e encanta! Não recomendado para grávidas! PRA SOFRER

~ by Lilia Lustosa on março 12, 2021.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

 
WP Like Button Plugin by Free WordPress Templates